O mais incrível a respeito da gordura de coco não é o desconhecimento dos consumidores, mas sim dos produtores, sobre os enormes benefícios deste super alimento.

Eles não fazem idéia do tesouro que oferecem! Em primeiro lugar, a gordura de coco favorece a proteção do organismo contra doenças infecciosas (virais e bacterianas). Isso se deve a uma gordura muito especial do coco, que recebe o nome de ácido láurico.

O ácido láurico é utilizado pelo organismo para fabricar um outro tipo de gordura (ácido graxo) denominado monolaurina. É graças a esta substância que os recém-nacidos e lactentes obtêm proteção especial contra infecções. Sem a presença de ácido láurico, não há monolaurina. E de onde o bebê consegue o ácido láurico? Do leite materno.

O mais incrível é que este fato é conhecido pela ciência e ignorado pela medicina e nutrição desde 1966. Por que toda essa desinformação? Quanto dessa desinformação não será causada por toda uma indústria de alimentos, que não acredita nos ingredientes saudáveis que a natureza fornece, e vive tentando “melhorar” esses ingredientes. Em outras palavras, torná-los mais artificiais, patenteáveis e lucrativos. A febre dos óleos vegetais refinados e margarinas hidrogenadas enche os bolsos da indústria, que patrocina cada vez mais eventos médicos, pesquisas e até associações médicas. Pena que todo esse processamento industrial provoca a perda de importantes componentes, bem como a distorção da função desses óleos e gorduras

A monolaurina e outros derivados do ácido láurico são capazes de inativar, em laboratório, o vírus da AIDS (HIV), do sarampo, do herpes e o citomegalovirus, entre outros vírus, bactérias e protozoários.

Estudos também demostraram um efeito anti-câncer da gordura de coco, em cobaias. Em um deles, a diferença na indução de câncer do intestino através de uma substância química foi da ordem de 10 vezes menos para as cobaias alimentadas com gordura de coco, em comparação àquelas alimentadas com óleo de milho. Outras pesquisas demonstraram efeito protetor contra o câncer de mama, também em cobaias.

No entanto, infelizmente, o que vemos por aí é um consumo insignificante de ácido láurico (gordura de coco) e um consumo cada vez maior, mais desenfreado, de gordura vegetal hidrogenada outros óleos e margarina, produtos totalmente nocivos à saúde e presentes, literalmente, no pão nosso de cada dia.

A manteiga, o leite cru (não pasteurizado) integral e o azeite de dendê também possuem ácido láurico, esse grande promotor da saúde. Engraçado, esses três alimentos naturais são banidos como grandes inimigos da saúde! Quem disse que gordura não faz bem?

A gordura do coco, assim como a gordura do peixe, diminuem as concentrações de substâncias pró-inflamatórias do organismo, que recebem nomes como TNF-alfa, Interleucina-1-beta e Interleucina-6. Pesquisas indicam que a gordura do coco pode ser muito útil no tratamento de doenças que envolvam um estado inflamatório agudo e/ou crônico. E a enxaqueca é uma doença crônica que compreende um estado inflamatório na sua fase de dor! A gordura do coco, ainda por cima, aumenta a produção no organismo de uma substância antiinflamatória chamada Interleucina-10, portanto podemos dizer que essa gordura é duplamente antiinflamatória!Autoria:


Dr. Alexandre Feldman

 

http://pat.feldman.com.br

Desconhecimento dos consumidores sobre o

Óleo de Coco Extra Virgem

Caixa de texto: VOLTAR